Como Fazer Shampoo Orgânico

shampoo organico

Esta receitinha caseira é para meus leitores queridos que querem se livrar dos shampoos tradicionais que contém sulfatos que ressecam e estragam os cabelos. Mas especialmente para a nossa nova contribuidora do site e futura doutora em química, Lorena, que não consegue achar shampoos orgânicos com facilidade no Brasil. Eu não uso mais shampoos com sulfato e 99% dos shampoos no mercado contém esse ingrediente que é terrível! Sulfato retira os óleos naturais dos seus cabelos, expondo a cutícula e causando frizz.

Se você quer cabelos saudáveis e sedosos, livre-se de shampoos com sulfato, especialmente o lauril sulfato de sódio, que só serve mesmo para fazer com que seu shampoo espume, não adiciona nada de positivo aos shampoos.

Fazer o seu próprio shampoo orgânico é bem simples e barato. Mas primeiro é necessário ter o sabão castela (ou sabão caseiro), o que talvez não seja fácil de encontrar. O sabão castela é apenas um sabão caseiro à base de azeite.

Como Fazer Sabão Castela (sabão caseiro)

Veja os ingredientes necessários para a receita:

As proporções são:  10 partes de óleo, 4 partes de água e 2 partes de soda cáustica

  • azeite ou óleo de cozinha (aquecido ou morno)
  • soda cáustica
  • água filtrada ou mineral
  • essência de coco ou erva doce (ou outra que preferir)

Passo a Passo:

  1. Dilua a soda na água fria mexendo com cuidado por 5 minutos, a soda vai esquentar a água bastante, espere esfriar até que fique morno.
  2. Esquente o óleo até que fique morno (49 graus Celcius)
  3. Adicione o óleo (morno) á soda e mexa bastante até que a mistura fique com a consistência de sabão líquido (15 a 20 minutos).
  4. Adicione a essência.
  5. Embale, tampe e identifique a embalagem com a data em que foi feito – dura cerca de 6 meses.

Não se esqueça de tomar muito cuidado e de usar luvas ao lidar com soda cáustica. Todo sabão, caseiro ou não, contém soda cáustica, sem soda não há sabão. Não precisa ficar com receio, mas tome as devidas precauções. Sabão castela não produz muita espuma.

Como Fazer Shampoo Orgânico

Ingredientes:

1 copo e meio de água mineral

meio copo de ervas secas (camomila, lavanda, alecrim)

1 colher de óleo de jojoba

meio copo de sabão castela

1 colher de essência de lavanda (ou a que preferir)

Passo a Passo:

  1. Leve 1 copo e meio de água mineral ao fogo em uma panela grande, adicione meio copo de ervas variadas, como camomila, lavanda, alecrim (pode usar chás comprados, de preferência orgânicos). Espere até que a mistura ferva e desligue o fogo.
  2. Tampe a panela bem e deixe curtir por pelo menos 30 minutos.
  3. Use um coador para retirar as ervas e transfira a mistura para uma panela média. Acrescente 1 colher de óleo de jojoba e misture bem.
  4. Acresente meio copo de sabão castelo líquido e 1 colher de essência de lavanda ou a que preferir. Misture.
  5. Ponha tudo em um frasco plástico com tampa e escreva a data de fabricação.
  6. Guarde seu shampoo orgânico na geladeira. Dura cerca de 2 meses.

Espero que tenham gostado. Se você tem cabelos tratados quimicamente, especialmente cabelos alisados com progressiva ou relaxados, shampoos orgânicos são uma necessidade! Pois cabelos tratados quimicamente tem as cutílas abertas, sem nenhuma proteção dos sebos naturais e por isso são geralmente ressecados e frizados. Shampoos comuns pioram muito o problema, pois o sulfato resseca as cutículas ainda mais, literalmente quebrando-as.

O shampoo orgânico limpa os cabelos sem danificá-los, mas ele não faz muita espuma como os shampoos comuns. A espuma é causada pelo sulfato que, como disse antes, é terrível para os cabelos. Você se acostuma com shampoos que não espumam, acredite em mim, seus cabelos ficarão limpos e cheirosos, hidratados e sem frizz.

Você Provavalmente Irá Curtir...

  • Cín

    Acho que ajuda. Queria deixar aqui uma receitinha que achei no google, de sabão sem a soda caustica. Um abraço.
    http://br.innatia.com/c-jabon-biodegradable-pt/a-formula-para-fazer-sabao-sem-soda-caustica-3147.html

  • Simone Carvalho

    Site irresponsável! Bogueira ausente e omissa. Retirando-me daqui…

    • Paola Oliveira de Camargo

      Irresponsável, Simone? Por quê?

      • Simone Carvalho

        Pq há uma série de comentários mostrando o quão perigoso é essa receita ser feita da maneira que vcs escreveram. As meninas cobraram posturas e retorno de vcs, e isso não aconteceu…Leram os comentários? Fizeram as alterações na matéria, trazendo a atenção para os cuidados com equipamentos (EPIs), com a precisão de quantidade, temperatura, armazenamento, medição do PH?? Sobre os possíveis riscos à saúde?? Não, não fizeram nada disso. Postura irresponsável e omissa…

        • Paola Oliveira de Camargo

          A soda é sim um produto perigoso, que requer cuidados, mas falar em uso de EPI? Desculpa, mas para uso caseiro, de escala reduzidíssima, bastam as precauções indicadas pela Ju no artigo. Porque ela disse ali há tempos: lidar com soda é perigoso, deve-se tomar muito cuidado e sempre usar luvas. Todo o EPI é necessário pra quem manipula a soda constantemente (a pessoa que mencionou isso nos comentários trabalha fazendo sabão, então é óbvio que ela precisa ter esses equipamentos à disposição e usá-los sempre). Exigir todo o EPI para manipulação caseira eventual é o mesmo que dizer “não façam isso em casa”. É paranóia, percebes?
          Mas, só pra constar, essa é a minha opinião. Eu não faço parte do staff. A falta da resposta aqui deve-se não somente à antiguidade do post, como a questões pessoais das blogueiras responsáveis. As observações foram feitas quando uma estava na China e a outra estava em função de outros trabalhos e de mudança de país, o que deixou o blog muito mais parado que o de costume (e, sim, acarretou na falta de respostas a muitos comentários).

          Em 6 de fevereiro de 2015 14:43, Disqus escreveu:

          • Simone Carvalho

            Vou te dizer pra vc ler novamente a matéria e TODOS os comentários. Nossa colega Química nos informou que a soda usada no processo de confecção de sabão não é a mesma usada para desentupir ralos e vasos sanitários, aquela de mercado. É uma mais pura, vendida somente em comércios de produtos químico. Isso significa que demanda o triplo de cuidados no seu manuseio. Então por favor, não minimize a necessidade do uso de equipamentos corretos!!! Enquanto a “blogueira” indica um avental, nossa colega, que têm conhecimento acadêmico e profissional sobre, alerta, por exemplo, para o perigo de se inalar a soda na hora do cozimento. Algo que nem é mencionado no texto.
            A responsabilidade pela informação concedida é de quem escreveu. Se eu fizer essa receita, e por um acaso algo der errado, e eu acabar queimando meu couro cabeludo, posso responsabilizar esse blog e a pessoa que escreveu a informação. É algo totalmente possível de acontecer, e me espanta que essa pessoa e todo o staff desse site não pensem nessas questões ao repassarem informações desconexas e irresponsáveis. Independente dos motivos que acarretaram no abandono do mesmo…

            Não sei quem é vc, nem a relação que tem com essas pessoas…Mas reafirmo, não minimize o problema exposto aqui nessa matéria, e a quantidade de falhas existentes… Se vc quer defender/ajudar suas amigas, oriente-as a corrigir os erros indicados por várias comentáristas, bem como responder a quem pediu maiores esclarecimentos…

          • http://bemnaturalsaboaria.blogspot.com.br/ Mara Maria

            você esta certíssima!!! concordo em tudo e já ouvi muitos relatos de arrepiar o cabelo das pessoas que fazem o sabão caseiro de óleo recilado, acho e incentivo a recilcagem de óleo usado, mas cs cuidados são os mesmos e as receitas tem um excesso muitog rande de soda. Nos EUA quem dá cursos não ensina pessoas menores de 18 anos e recomenda não deixar crianças menores de 12 anos quando faz a receita.